A História do Jazz Dance

A História do Jazz Dance
Por Andre Gama

O Jazz Dance teve sua origem em vários lugares: New Orleans, Saint Louis, Memphis e Kansas City são apenas alguns destes lugares. Contudo, New Orleans foi e continua sendo um centro importante do Jazz. A cidade já esteve sob o domínio espanhol e francês, antes da aquisição da Louisiana pelos EUA. Por volta de 1900, seus habitantes eram uma mistura de espanhóis, franceses, ingleses, alemães, italianos, eslavos e africanos.

O termo Jazz Dance ou Jazz Dancing tem sido utilizado desde a década de 1920, porém seu significado no Brasil sofreu uma deformação, ao qual não representa a ideia inicial do termo. Vários autores e textos originais em inglês utilizam este termo, porém referindo-se aos passos dançados ao som da música Jazz. Dessa forma, o termo Jazz Dance refere-se às Danças do Jazz - o Fox-Trot, o Shimmy, o Rag, o Charleston, o Black Bottom e outros vários “passos”, conforme já mencionado. Se entendermos o termo Jazz Dancing como “Dançar o Jazz” (tradução literal) tornamos este conceito mais claro.

O Jazz Dance teve sua origem com a arte do Tap Dancing, conhecido no Brasil como Sapateado Americano (o termo Tap, traduzido neste contexto, significa “toque”). O Sapateado iniciou-se no fim dos anos 1800, tendo sua raiz na cultura Afro-Americana. Os dançarinos de Jazz colocavam seus “sapatos de toque” e faziam evoluções complexas de pés e pernas, com extrema habilidade, dançando no ritmo da música Jazz, que era o gênero musical daquele período. Dois dos primeiros “dançarinos de Jazz” mais conhecidos foram Bill Robinson – mais popularmente chamado como Mr. Bojangles – e Joe Frisco. Por causa do Sapateado, outros estilos de dança também foram incluídos na Era do Jazz, incluindo o Ballet. O Sapateado era uma forma de arte não somente do estilo de vida Afro-Americano, mas também tem suas raízes na forma de dança folclórica da Irlanda. O Jazz Dance inclui também as “Danças Teatrais” de Bob Fosse, Funky Jazz e Lyrical Jazz.

O Jazz Dance evolui juntamente com a cultura popular. Desde os anos 1920 o Jazz representa uma constante evolução da dança popular e artística. Da mesma forma que a cultura popular evolui, o Jazz Dance evolui.
Com o fim da 1ª Guerra Mundial, os valores e costumes das gerações anteriores passam a ser rejeitados. O valor à vida ganha o pensamento dos sobreviventes, os quais querem então aproveitá-la ao máximo. Esta foi a era da “geração perdida”, que escandalizava os mais conservadores nos cabarés, clubes noturnos e nos speakeasiers (estabelecimentos que vendiam álcool ilegalmente durante a lei seca nos EUA), os quais substituíram os grandes salões de baile do pré-guerra. Dançar tornou-se um ato mais informal - abraços mais fechados e trocas frequentes de parceiros agora eram socialmente aceitáveis.

Esta geração foi marcada por um gênero musical – o Jazz, ao som do qual se dançava o Fox-Trot, o Shimmy, o Rag, o Charleston, o Black Bottom e vários passos (ou danças) do período. O Jazz originou-se no fim do século XIX, nos clubes de dança e bordéis do Sul e Meio-Oeste dos EUA, onde a palavra “Jazz” era comumente utilizada para referir-se ao ato sexual. Os negros do Sul dos EUA, trazidos pela escravidão, começaram a tocar música europeia com modificações e fusões de suas raízes africanas.

A “Dança Jazz” tem como seu ponto central a improvisação e a individualidade. É este fator que permite que a “Dança Jazz” mude sua aparência a cada geração. O estilo eclético de Fred Astaire também figura como “Dança Jazz”, assim como as coreografias de Bob Fosse e do moderno coreógrafo Alvin Ailey. Os sons sincopados do Sapateado são considerados “Dança Jazz”, assim como também os movimentos de explosão do Breakdance. O “pano de fundo” que une todos estes estilos aparentemente desconexos é o ritmo, ou mais especificamente o ritmo baseado nas influencias africanas.

Até a metade dos anos 1950, a expressão “Jazz Dance” freqüentemente se referia ao Sapateado (Tap Dance), uma vez que o Sapateado (executado ao som da música Jazz) era a maior dança performática da época. Sua exposição no show business – através de filmes, da televisão e da Broadway – garantiram uma platéia grande e contínua.
Marshall e Jean Stearns, em seu livro Jazz Dance - A História da Dança Vernacular da América, apontam que o Jazz Dance é uma “mistura de tradições Africanas e Européias em um ambiente Americano”. Eles notam que a parte Européia contribuiu com a elegância, e o movimento Africano deu uma propulsão rítmica. Scholar Lynne Fauley Emery também nota a importância do ritmo na música e na dança africana, utilizando a metáfora de “uma batida de tambor por cada batida do coração da África”. Isto mostra que, ainda que a movimentação europeia tenha dado forma, a propulsão do ritmo africano é o fator que deu ao Jazz Dance seu caráter e seu apelo.

O Jazz Moderno

Hoje, o Jazz Dance aparece em diferentes formas. A “Dança Jazz” desenvolve-se nas escolas de dança e se tornou uma parte importante das coreografias de teatro musical, sendo muitas vezes misturada a outras danças para atender a um determinado estilo de espetáculo. A variação de estilos é resultado de aplicações e visões individuais, baseadas no contexto social e no tempo em que eles ocorrem, assim como também resulta da personalidade única que cada bailarino traz. Dessa forma, um estilo de Jazz Dance pode se destacar e rapidamente desaparecer, pois é o ritmo – nascido na África e refinado na América – que forma a base, o elemento comum do Jazz Dance Americano.

Atualmente, quando as pessoas fazem uma apresentação de Jazz Dance, esta geralmente é feita no teatro. Para este tipo de performance teatral, os bailarinos devem estar em perfeita forma para executar as coreografias. Os bailarinos são como acrobatas fazendo levantamentos, giros, saltos e balanços. Tudo é coreografado, porém toda coreografia de Jazz deve ter um bom “swing”. As performances podem incluir Tour En L’air Passé (Axel Turn), rollings (rolamentos), grandes saltos, pequenos saltos e passos de deslocamentos. As danças incorporam passos de Ballet, Pencil Turns (Giros Lápis) e passos de pivô.

O Jazz Dance, criado no passado, tornou-se algo totalmente novo. No passado, o Jazz Dance era feito por qualquer pessoa que quisesse se expressar através do movimento nos cabarés e clubes de boogie-woogie. Nesta época não era preciso treinamento, podia-se apenas se deixar levar pela música na pista de dança. Hoje, o Jazz Dance é organizado e executado por bailarinos profissionais nos teatros. Sua performance é cheia de atitude, misturando interpretação e dança. É uma forma de entretenimento que conduz às carreiras, competições e performances diversas.

Referências:
http://www.centralhome.com/ballroomcountry/jazz.htm#ixzz1oSkQYxx7
http://library.thinkquest.org/J0112398/jazz.htm
http://www.aboutdanceschools.com/education/history/jazzdance.asp
http://www.offjazz.com/term-jazz.htm
http://www.bobboross.com/page22/page61/page61.html

Grade Horária