Anderval Areias

Anderval Areias

Técnico em química formado pela ETEC (Centro Paula Souza)

Técnico em Teatro formado pela ETEC (Centro Paula Souza)

Análise e Desenvolvimento de Sistema (não concluido) pela FATEC.

Trabalha atualmente como atendente/recepcionista na escola de dança OCA – Oficina Corpo e Arte. Faz trabalhos paralelos como Ator e assistente de produção.

Na área do teatro teve as formações:

  • Mestre Jorge Julião participando das suas oficinas de teatro no projeto teatro cidadão, fazendo a montagem dos espetáculos e participando como ator.
  • Oficina com o Diretor Inglês John Mowat. A criação de um personagem a partir da máscara neutra.

Ballet Clássico

O Ballet Clássico é a modalidade acadêmica mais antiga de Dança ainda em atividade. É uma técnica que começou a ser codifica no seculo XVI, e seu conhecimento vem sendo aprimorado e renovado dia após dia.

A Dança Clássica propõe alcançar  a qualidade máxima do movimento do corpo humano, através de técnicas que desenvolvem todos os aspectos que formam um ser humano. 

O Ballet Clássico reúne movimentos de força, suavidade, de explosão muscular, isometria, assim como a concentração, disciplina, trabalho em equipe, confiança, autoconhecimento, controle mental, proporcionando o desenvolvimento de competências fundamentais para a vida em sociedade. 

O Ballet Clássico contém em sua prática todas as qualidades e requisitos para o desenvolvimento motor, cognitivo, emocional e holístico. Mais além de uma atividade, o Ballet Clássico atua diretamente na construção e transformação do indivíduo, de seus hábitos, de sua personalidade, potencializando suas qualidades e desenvolvendo suas deficiências, buscando o equilíbrio em todas as áreas, tornando-se assim, um estilo de vida.

Autor: Andre Matos da Gama

Gislaine Costa

Profa. Gislaine Costa

Gislaine Costa iniciou seus estudos de ballet aos 4 anos de idade na Academia Adriana Cavalheiro onde teve a oportunidade de conhecer vários estilos de danças com professores maravilhosos (ballet, jazz, flamenco e sapateado) e também, ginástica rítmica. Aprofundou a técnica clássica na Escola Municipal de Bailados de São Paulo de 1994 a 1999 e no Estúdio de Ballet Cisne Negro de 2000 a 2011, ministrados por grandes mestres e professores. Dançou diversos repertórios como O Lago dos Cisnes, A Viúva Alegre, A Bela Adormecida, La Fille Mal Gardée, Sonho de uma Noite de Verão, O Quebra-Nozes, entre outras adaptações. Foi integrante do grupo de dança Cisne Negro II de 2001 a 2003, sob direção de Betsy Lobato.

Graduou na Faculdade de Educação da Royal Academy of Dance no curso CBTS (Certificate in Ballet Teaching Studies) em 2009, realizando anualmente cursos de atualizações. Atuou como professora de ballet clássico desenvolvendo e aplicando o método RAD no Estúdio de Ballet Cisne Negro de 2005 a 2011, e na Lucianne Murta Escola de Ballet de 2007 a 2011. E, atuou como professora de ballet infantil na Oficina Corpo e Arte (OCA) de 2012 a 2013.

Em 2012, especializou em Dança e Consciência Corporal (Pos-Graduação-FMU) e iniciou o projeto Brilho Ballet (ativo) para atender as atividades extracurriculares em escolas particulares. Atualmente ministra aulas de ballet em escolas de Educação Infantil, Ensino Fundamental e academias, e também na Oficina Corpo e Arte (OCA).

Lidia Gasque

Lídia Gasque iniciou as aulas de ballet clássico aos 6 anos de idade na Academia Art Dance Ballet em Americana-SP, onde se formou com a professora Erica Janotti.
Em 2013 começou a dar assistência nas aulas de ballet infantil na ONG Paz e Liberdade em Americana-SP, tornando-se professora e em 2016 diretora artística.
Em 2015 entrou para o grupo de competição da academia Iris Ativa Lina Penteado em Campinas-SP. Teve como mestres Luciana Checchia, Liliana Testa e Ronaldo Coco.
Em 2016, passou a fazer aulas com Eliane Constancio Kara e Pedro Kara, melhorarando sua técnica e conhecimento no balé clássico. No mesmo ano ingressou na CEDAN – Companhia Estável de Dança de Piracicaba, com Camilla Pupa como professora e diretora, onde foi convidada a participar do espetáculo “La Danza dei Fili” com direção artística da italiana Alessandra Silva de Simone e adaptação de Marcela Zia.
Em 2018 mudou-se para São Paulo para buscar novas experiências e crescimento profissional, dançou para a Especial Academia de Ballet onde teve como mestre Guivalde de Almeida, Jurandir Rodrigues, Danila Bezerra entre outros grandes nomes.
Seguiu ministrando aulas de baby class, ballet infantil, alongamento, ballet funcional e jazz em escolas infantis e nas academias de dança. Trabalhou na Escola Jurandir Rodrigues e Guivalde de Almeida, Espaço Maktub e Núcleo Arte e Saúde – Ballet Carolina Eimantas, onde continua lecionando até o momento.
Se aperfeiçoou no jazz com Gabriel Malo e Erica Rossati, e na dança contemporânea com Ariany Damaso e outros mestres.
Em 2019 ministrou aulas na Zelensky Balett. Também na Sala Erica Rossati e OCA – Oficina Corpo e Arte onde continua atualmente.

Damabiah Lana

Damabiah Lana começou dançando na escola fundamental aos 2 anos de idade, fazendo natação e ballet ao mesmo tempo. Logo depois, com 7 anos entrou na Escola de Dança de São Paulo, atualmente Fundação Teatro Municipal de São Paulo e formou-se em 2016 com 16 anos. Foi convidada para trabalhar e dançar com a Ariany Dâmaso (Bailarina do Balé da Cidade de São Paulo) em uma escola de contemporâneo, seguindo para a Fábrica de Cultura do Parque Belém, dançando contemporâneo. Continuando a linha de trabalho fui convidada a trabalhar na escola Jurandir Rodrigues & Guivalde de Almeida em 2017/2018, e atualmente na Oficina Corpo e Arte.

Roberta Ramos

Roberta Ramos Vital Inicia seus estudos de Ballet Clássico em 2008, na Escola de Dança do Theatro Municipal de São Paulo, onde concluiu sua formação pautada no Ballet Clássico e na Dança Contemporânea e Moderna; contando ainda com aulas de condicionamento físico, danças folclóricas, entre outros.
Em 2017 inicia sua experiência profissional no Ballet Stagium, onde teve a chance de trabalhar com Marika Gidali, e de dançar as obras de Décio Otero. Na mesma época passa a integrar a Companhia Jovem da Escola de Dança do Theatro Municipal de Sp, sob a direção de Priscilla Yokoi, por onde permaneceu por 3 anos aprimorando-se artisticamente.
Em sua carreira ela foi convidada para o papel da Fada Açucarada no Quebra-Nozes de 2017 no Theatro Municipal; também participo dos 40 anos de Kuarup ou A Questão do Índio, com a Cia Stagium, e realizou a ópera Amor Brujo, com a Cia espanhola Fura cel Baus. Em 2017 Roberta passa a dar aulas de Ballet e jazz na Oficina Corpo e Arte; ministrando aulas como convidada em outras escolas e workshops. como convidada em outras e